sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

WebQuest - Bullying na Escola

WebQuest

WebQuest é uma metodologia de pesquisa na internet, voltada para o processo educacional, estimulando a pesquisa e o pensamento crítico. A WebQuest pretende engajar alunos e professores no uso da internet, em especial a busca de informação na Rede. Pode desenvolver o pensamento reflexivo e crítico dos alunos e dos professores, como também a criatividade.
Uma WebQuest parte da definição de um tema e objetivos por parte do professor, uma pesquisa inicial e disponibilização de links selecionados acerca do assunto para consultas orientadas aos alunos. Os alunos devem ter uma tarefa exequível e interessante, que norteie a pesquisa.


WebQuest publicada por Profª Regiane Valéria Monteiro sobre “Bullying na Escola” 


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Introdução das TIC's na Escola

Palestra sobre a "Introdução das Tecnologias da Informação e Comunicação na Escola" apresentada na Jornada Pedagógica da Escola Municipal Parque Amazônia pela Profª Regiane Valéria Monteiro - Belém-Pa.

 

Tecnologia na Educação


A incorporação das tecnologias na escola propicia lidar com a rapidez do acesso às informações, bem como sua diversidade e abrangência, além das novas possibilidades de comunicação e interação, promovendo assim as novas formas de aprender, ensinar, construir e reconstruir conhecimento.
A existência das diferentes tecnologias na escola, como computador, internet, tv, vídeo e etc., favorece à prática pedagógica e às outras atividades escolares situações que podem trazer contribuições significativas. A aquisição do conhecimento através da incorporação de novas tecnologias assume um papel de destaque exigindo um profissional crítico, criativo, reflexivo e com capacidade de pensar, de aprender a aprender, de trabalhar em grupo e de se conhecer como indivíduo, de repensar sobre sua atuação e suas práticas pedagógicas.
Nesse sentido, a atuação do professor nesse novo ambiente de aprendizagem se desenvolve de forma a promover a interação e a articulação entre os conhecimentos de diversas áreas, estabelecendo a conexão dos conhecimentos que os alunos trazem de sua própria realidade e das expectativas dos seus anseios.

Entrevista ao Jornal do Professor a Professora Dra. Maria Elizabeth Biaconcini Almeida, especialista em Novas Tecnologias da Educação, ressalta a importância da capacitação dos educadores para a modernização da sala de aula com uso de ferramentas de produção colaborativa na escola.



Professora associada da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Maria Elizabeth Biaconcini Almeida. Com mestrado e doutorado em Novas Tecnologias em Educação, atua como docente no Programa de Pós-Graduação em Educação.


A pesquisadora traz como debate ‘Tecnologias trazem o mundo para a escola’. Essas informações, escritas por Renata Chamarelli, estão disponíveis no endereço eletrônico, site Portal do Professor: Novas Tecnologias na Educação – Jornal do Professor, Edição 2: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/noticias.html?idCategoria=8&idEdicao=2



sábado, 15 de dezembro de 2012

A importância do Calc para a Informática Educativa

O professor, como mediador do conhecimento e agente do processo de preparação do aluno para a vida, precisa integrar à sua prática pedagógica elementos que fazem parte da concretização desse progresso, entre eles, a tecnologia da informação e comunicação.

A importância da informática no ensino e a utilização de softwares auxiliam no desenvolvimento do raciocínio lógico e da criatividade dos alunos, assim no aprimoramento das habilidades lógicas e da resolução de problemas.

O uso do computador e de softwares como materiais de apoio ao ensino contribui grandemente para a formação do aluno. Nesse sentido, torna-se necessário pensar em novas maneiras de trabalhar com o ensino da matemática, pois alguns conteúdos podem ser facilmente compreendidos com o uso de softwares, sejam eles programados para fins educativos ou não, desde que bem selecionados e adequados.

Pensando em software como recurso potencialmente de apoio ao ensino, o Calc é um dos aplicativos da ferramenta BrOffice, do software livre Linux, que possibilita para a resolução de problemas no cotidiano escolar. Esse aplicativo, considerado como planilha eletrônica, possui uma importância pedagógica no uso de suas planilhas de cálculo, pois ajudam na organização e no tratamento de informações como também auxiliam nos processos de tomada de decisão.

A planilha eletrônica é uma ferramenta computacional que processa e registra cálculos e operações aritméticas ou lógicas sobre uma quantidade significativa de dados e de informações. Além de favorecerem a realização de atividades de construção de modelos matemáticos, as planilhas são também de grande ajuda para a promoção da competência algébrica.

Portanto, o potencial do uso das planilhas permite reconhecer o seu papel pedagógico destacando suas estratégias de trabalho. O trabalho com o tratamento das informações, que envolve desde a coleta, a organização, a análise, a síntese dos dados e a comunicação no uso das tabelas, gráficos e outras representações, favorece uma melhor leitura da realidade, assim como a promoção da construção da consciência crítica e reflexiva do cidadão.

As atividades escolares podem se tornar análises de aspectos reais da vida dos alunos, mesmo obtendo muitos dados e informações, pois com a mobilização, o envolvimento e o tratamento dos mesmos em planilhas, possibilita a conferência da seriedade e significação dos resultados.

Contudo, a utilização do Calc torna a aula mais interessante, favorável para uma aprendizagem mais significativa no ensino da Matemática.

Entende-se com isso a importância do uso de softwares específicos no processo de ensino e aprendizagem, que além de facilitar e contribuir para a construção de análise crítica e reflexiva do aluno, dispensa para qualquer disciplina um ensino mais atraente e prazeroso, além de uma aprendizagem curiosa e eficaz para o aluno.

Fonte:
RAMOS, E. M. F.; ARRIADA, M. C.; FIORENTINI, L. M. R. Introdução à Educação digital: Guia do Cursista. 2 ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância, 2009, p. 265-289.



Exemplo de Planilha de Cálculo (Calc):

Atividade desenvolvida no Curso Formação de Professores em Informática Educativa/NIED - Turma 2sem2012-Manhã


Fonte: Dados hipotéticos
Ilustração: Regiane Valéria Monteiro

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Apresentação das Atividades do Curso Formação de Professores em Informática Educativa

Atividade desenvolvida na ferramenta Impress (Linux) referente ao Curso Formação de Professores em Informática Educativa - Turma 2sem2012-Manhã/NIED.
Cursista/Ministrante: Regiane Valéria Monteiro

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Bullying na Escola



O que é Bullying?
é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.

Origem da palavra Bullying
O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão,  intimidação, humilhação e maltrato.

O que não é Bullying?
Discussões ou brigas pontuais não são bullying. Conflitos entre professor e aluno ou aluno e gestor não são considerados bullying.
O bullying ocorre quando a agressão é envolvida entre pares (colegas de classe ou de trabalho). Mas nem toda a agressão é classificada como bullying.

O Bullying é um fenômeno recente?
O bullying sempre existiu. Em 1970, o professor da universidade da Noruega, Dan Olweus, foi o primeiro a relacionar a palavra a um fenômeno. A popularidade do fenômeno cresceu com a influência dos meios eletrônicos, como a internet e as reportagens na televisão, pois os apelidos pejorativos e as brincadeiras ofensivas foram tornando proporções maiores.

O que leva o autor do bullying a praticá-lo?
Querer ser mais popular, sentir-se poderoso e obter uma boa imagem de si mesmo. Isso tudo leva o autor do bullying a atingir o colega com repetidas humilhações ou depreciações.

Cyberbullying, como isso acontece?
Na internet e no celular, mensagens com imagens e comentários depreciativos se alastram rapidamente e tornam o bullying ainda mais perverso.

Um xinga, o outro chora e o resto cai na risada...
O espectador também compartilha do bullying  quando é testemunha do fato e não sai em defesa da vítima ou não denuncia os agressores.

Quais são as conseqüências para o aluno que é alvo de bullying?
O aluno que sofre bullying, principalmente quando não pede ajuda, enfrenta medo e vergonha de ir à escola. Pode querer abandonar os estudos, não se achar bom para integrar o grupo e a apresentar baixo rendimento.

Quais as orientações?
Informe ao professor ou à direção da escola sobre qualquer situação de bullying que você tenha testemunhado;
Se seu amigo contou que sofre bullying tente convencê-lo a procurar ajuda de um profissional na escola;
Procure fazer com que seu amigo, que sofre bullying se sinta à vontade no grupo.

Refletindo sobre o bullying
O bullying está cada vez mais presente em diversos contextos da sociedade. As consequências desse fenômeno são desastrosas no desenvolvimento emocional de uma criança. Por isso, devemos cada vez mais sensibilizar as pessoas à nossa volta para combater esse mal. Portanto, vamos mudar essa idéia, sendo nós a darmos o melhor tratamento às pessoas que nos rodeiam, começando com a nossa escola.


Acesse o vídeo: Refletindo sobre Bullying:

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A ARTE JÁ EXISTIA NAS MÃOS DO CRIADOR, DEUS.

Atividade construída no curso Formação de Professores para Sala de Informática do Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (Proinfo Integrado/MEC). Realização do curso: SEMEC/NIED.


Aos olhos do Pai você é uma obra prima, que Ele planejou
    e com suas próprias mãos pintou” 
Ilustração: Profª Regiane Valéria Monteiro

 Assista os vídeos:
Aos Olhos do Pai - Ana Paula Valadão

Criação do Mundo - Mara Maravilha 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Como o Blog pode contribuir para o Projeto Integrado de Aprendizagem


O cenário sócio-cultural que vivemos hoje tem afetado e modificado nossos hábitos. Novas formas de trabalhar e de aprender têm provocado transformações cada vez mais visíveis em nossas vidas.
Diante desse cenário, percebe-se a introdução de novas necessidades e desafios relacionados à utilização das tecnologias de informação e comunicação – TICs. Os computadores começam a se fazer presentes em todos os lugares e novas possibilidades de comunicação, interação e informação advindas com a internet.
Nesse contexto, a inclusão digital e social propõe ampliar a aprendizagem através de mídias e tecnologias. Dessa forma, pensa-se no Projeto Integrado de Aprendizagem o qual objetiva promover propostas de atividades visando a inserção de tecnologias da informação e comunicação no sistema do processo de ensino e aprendizagem.
Então, de que forma o Blog poderá contribuir para o Projeto Integrado de Aprendizagem?
O Blog é uma espécie de diário eletrônico que as pessoas criam na internet. O Blog permite à pessoa fazer diários, relatos on-line, expor pensamentos, emoções e pontos de vista, e ainda compartilhar tudo isso com outras pessoas.
O Blog é um espaço onde matérias são publicadas, onde se pode contextualizar experiências e apresentar ideias, possuindo um layout semelhante com revista e jornal, ou seja, apresenta textos em colunas, editoriais, imagens, comentários, etc.
Por ser uma ferramenta que tem sido amplamente empregada na condição de diário digital, na publicação de notícias e de outros gêneros textuais, o Blog permite a qualquer pessoa que se prontifique a mergulhar nos recursos oferecidos pela internet a se tornar um autor. Portanto, sua veiculação na rede e seu acesso por alguém que esteja conectado, possibilita fazer-se disseminador de suas produções.
Sendo um recurso tecnológico conhecido entre os internautas, o Blog acompanha e divulga projetos de qualquer disciplina. Portanto, por ser um diário de aprendizagem na rede, uma ferramenta do mundo virtual, o Blog é um recurso que possibilita contribuir para o desenvolvimento de projetos pedagógicos, de forma a integrar e socializar a aprendizagem, pois seu acesso permite conhecer, acompanhar e compartilhar projetos experienciados por meio de suas publicações.

Fonte:
BASTOS, B. Introdução à Educação Digital: caderno de estudo e prática. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância, 2008.
RAMOS, E. M. F. Introdução à Educação Digital. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância, 2009.
SALGADO, M. U. C. Tecnologias da Educação: ensinando e aprendendo com as TIC: guia do cursista. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação à Distância, 2008.


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Aprendizagem, uma relação sociointeracionista


Fonte: google.com.br/images

Importante entender a contribuição de alguns teóricos da educação com suas ideias e pesquisas para a ressignificação de propostas do trabalho com projetos. Dentre as contribuições de Pestalozzi (apud ZACHARIAS, 2009), a reciprocidade na cooperação entre professor e aluno faz sentido para a construção da educação. Assim também para Freire (apud FERRARI, 2009) a relação professor e aluno sejam afetivas e democráticas, em que os dois aprendem juntos com a possibilidade de se expressarem. Nesse sentido, ainda afirma Vygotsky (apud FERRARI, 2009) que a aprendizagem é mediada, sendo que o papel do ensino e do professor seja mais ativo e determinante, papel este atribuído às relações sociais no processo de aprendizagem, o sociointeracionismo. Portanto, a prática pedagógica é uma forma de conceber a educação que envolve o aluno, o professor e os recursos disponíveis numa interação estabelecida num ambiente promotor da aprendizagem, ambiente este criado para a busca da articulação das informações significativas e conhecimentos para a implantação de projetos. O que se entende por projeto é a busca pelo que se pretende ser e conhecer. É procurar respostas para uma interrogação que provoca certo interesse, segundo Machado (2009). O autor assume a ideia de que o destino escolar dos alunos está ligado à capacidade de estabelecerem projetos e de criarem interrogações, expectativas para se lançarem a um futuro aberto e não fechado e imposto. A sala de aula é um espaço de interação pessoal entre aluno e professor, propícia a um espaço de convivência natural podendo tratar de diversos assuntos do cotidiano, indagações e questionamentos. Assim, o desenvolvimento de projetos para a escola permite ao aluno projetar-se para o futuro, com metas a serem alcançadas na busca de respostas às indagações e busca de novos conhecimentos.
Fonte: PRADO, M. E. B. B.; ALMEIDA, M. E. B. de. Elaboração de Projetos: guia do cursista. Brasília: Ministério da Educação / Secretaria de Educação à Distância, 2009.

Tecnologia e Educação

Diante de uma sociedade do conhecimento e da tecnologia que vivemos, é necessário hoje repensar o papel da escola em questões específicas relacionadas ao ensino e à aprendizagem. O ensino que privilegia a memorização de definições, fatos organizados de forma fragmentada e de soluções padronizadas, não atende às exigências do novo paradigma expressivo nessa sociedade.
O momento requer uma nova forma de pensar e agir para lidar com a rapidez e a abrangência de informações, com o dinamismo do conhecimento, e com diversas situações que exigem um posicionamento crítico e reflexivo do indivíduo para fazer suas escolhas e definir possibilidades demandando com isso o desenvolvimento de estratégias criativas e de novas aprendizagens.
Sendo a tecnologia um elemento bastante expressivo, precisa ser devidamente compreendida nas implicações do seu uso no processo de ensino e aprendizagem, permitindo ao professor integrá-la à prática pedagógica.
Assim, os recursos pedagógicos da internet, a pesquisa, a comunicação e a representação podem perfeitamente ser utilizados de forma articulada com outras áreas do conhecimento. Dessa forma, a linguagem visual e textual, a estética, a lógica hipertextual das informações e o dinamismo de eventos e imagens propostos no intercâmbio da tecnologia se integram na constituição de uma atividade de aprendizagem criativa, complexa e, ao mesmo tempo, prazerosa para o aluno.
Fonte: PRADO, M. E. B. B. Articulção entre áreas de conhecimento e tecnologia: articulando saberes e transformando a prática. In: Elaboração de Projetos: guia do cursista. Brasília: Ministério da Educação / Secretaria de Educação à Distância, 2009, p. 51-53.



video
Vídeo publicado por Marilena Monteiro Jardim
http://www.slideshare.net/marilenajardim/novos-paradigmas-na-educao-445684